terça-feira, 15 de junho de 2021

Mostram-se os sorrisos



 MOSTRAM-SE OS SORRISOS

Mostram-se os sorrisos
Existe o brilho no olhar
Afetos tamanhos e precisos
Abraços intensos para dar

Olhares inocentes de uma criança
Expressões de grande amor e bondade
Corações sedentos de ternura e confiança
Sorrisos que emanam luz e serenidade

Naqueles sorrisos que encantam
Caem nos rostos tristes e perdidos
Lágrimas que sentem e se emocionam
Soletram-se palavras em tons desmedidos

Idos os tempos angustiados
De momentos que importa esquecer
Voltam os sorrisos enamorados
Das crianças que querem voltar a viver

Outrora sorrisos belos e encantados
Das agruras da vida, rostos distorcidos
Soltam-se memórias e pensamentos emocionados
Dos traços de criança desaparecidos

Daniel Braga
junho 2021


terça-feira, 25 de maio de 2021

Sereia

 SEREIA


Sereia das ondas de amor
Do azul do mar renascidas paixões
Embrulhada no brilho redentor
Nas águas revoltas fantasiadas ilusões

Da sua auréola amantes apaixonadas
Luz da vida de eterno esplendor
Figuras belas e personificadas
Sereia que brota do azul das águas

Em silenciosas ondas magoadas
Rodopiando na magia das cores
Arco-íris de sensações multifacetadas
No turbilhão de sentires e amores.


Daniel Braga
maio 2021
(imagem da net)


Palavras cruas

 PALAVRAS CRUAS


Cruas as palavras que desiludem
Ânsias de amores não correspondidos
Ténues as esperanças que merecem
Que o amor vença iras e desentendidos
Perseverança, cumplicidade e arrojo
Tempo infinito de desejos
Que a dádiva das palavras faça sentido
E das feridas abertas e desilusões
Surjam fagulhas de eternas emoções
Porque o amor, esse, permanece
Do sentimento ausente que merece
Sensações pueris de saudade
Em mistos gestos de incerteza
Palavras que magoam na tristeza
Um amor que cresce e desaparece
Na volatilidade de um tempo que passou


Daniel Braga
abril 2021



Tu, Douglas Albuquerque, Hari Kilik e 3 outras pessoas

Divagações do não

 DIVAGAÇÕES DO NÃO

Não canto
Não divago
Não falo
Apenas permanece o silêncio...
Incomodado até à exaustão
Não! Fico quieto
Não me mexo
Não!
Será que penso? Ou não?
Não!
Apenas reflito
No não refletir
Mas se reflito... penso....
Que contradição!
Não. Não nego a reflexão
Mas... E a opinião?
Dou ou não?
Se é dia de negação
Devo estar calado pois então
E o silêncio não é afirmação?
Pode ser... ou não
Depende da situação
Que grande confusão!
Se me calo
Não sou livre
Nem dou azo
À liberdade de expressão
E calar não é opressão?
Amarras da saturação
E das ditaduras sempre à mão?
Pode ser que sim
Ou talvez não
Urge por isso por travão
A tudo o que impede a libertação
Não, não e não!
À corrupção
Ao desamor e desunião
E aos que não permitem
Que falemos com liberdade e emoção.
Por isso digo não!
E permaneço em silêncio
Com amor e devoção
Até haver a transformação
Da negação em afirmação


Daniel Braga
Abril de 2021


Tu e Douglas Albuquerque

Algemas

 ALGEMAS


Algemas do silêncio
Da dor gravada na alma
Algemas, gritos de revolta
Das injustiças que se calam
Algemas, não uma em cada mão
Mas das que aprisionam o coração
São sons de desânimo que abalam
As ilusões de um mundo justo e são
Não! Não são meras algemas
Daquelas que não têm perdão
São algemas com a força da razão
E que não calam a ingratidão
Nem a liberdade de opinião
Para que todos oiçam pois então!
E porque não?
Nos sentimentos difusos de dores caladas
As mãos acorrentadas à amargura
Algemas ao mundo denunciadas
Das injustiças que levam à loucura
Sim, são essas as algemas de que falo
As que conduzem ao dano e ao silêncio
E dão voz à indignação!

Daniel Braga
abril 2021
(imagem da net)


Cantam as paixões

 CANTAM AS PAIXÕES


Cantam as nossas paixões
Fruto de um belo amar
Retornam as emoções
Nos braços de uma ninfa do mar
Tons de azul pincelam a aguarela
De um amor que o mar encanta
Num belo recorte em tela
Cores vivas que a pena esboça e canta
Do mar sopram ventos apaixonados
Anunciando a bela nova ao mundo
O amor vence estigmas odiados
Corações erguem-se calando fundo
Lágrimas caem de rostos magoados
Sentimentos de dor que da alma imanam
Paixões assoladas de corações emocionados
Sinais de um tempo de amores que marcam

Daniel Braga
abril 2021
(imagem da net)




Sou livre

SOU LIVRE

Fogo
Que me arde

Ardor
Que sinto

Coração
Que brota

Labaredas
Que não se vêem

Nós apertados
Que me sufocam

Choros
Derramados sem sentido

Angústias e medos
Sem fim

Sonhos
Que fazem sorrir

Sorrisos
Que me lavam a alma

Muros domados
Que se desmoronam

Alívios
De uma dor que se esvai

Asas abertas
De um mundo que me liberta

Sou livre
Das grilhetas que me aprisionam

Finalmente livre
Para voar até ao infinito...


Daniel Braga

março 2021



Mostram-se os sorrisos

  MOSTRAM-SE OS SORRISOS Mostram-se os sorrisos Existe o brilho no olhar Afetos tamanhos e precisos Abraços intensos para dar Olhares inoce...